Kandengue – Criança jovem

De um amigo distante me veio essa expressão...
Que, no coração moveu a vontade de poetar,
E falar da simpática pátria amiga de Angola!

Das tranquilas ondas, que chegam como marolas
Pelo mar calmo, e, sereno navegam da distante
Pátria africana à nossa pequena Lorena!

Diálogos amigos, e, produtivos do poetar
Para amar, e considerar amizades tenazes
De rincões da mesma língua portuguesa!

“KANDENGUE”, nobre vocábulo angolano
De profundas raízes das nossas infâncias
Como “crianças jovens” em velhos adultos!

Lembranças guardadas de tempos lúdicos
De crianças jovens, e, recatadas pelo pudor
De uma pátria, que, as acolheu com amor!

“Kandengue” somos todos em almas jovens
Cujo pensar, sempre se volta no tempo da
Pureza de uma criança a todo o momento!

Renova-se na criança um “filho pródigo”!
Eis o código da honra, da moral, e, da fé!
Ao camba “caluanda” meu caro muangolê,
Congratulações, que unem nossos corações!

Jose Alfredo

Exibições: 11

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 12 da Antologia 

Volume 9 da Antologia

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

ALB/SP

</

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2020   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço