Até aqui..., tudo bem!

Ando confuso...
Uma coisa é solidão. Outra coisa é o isolamento. Solidão e isolamento acho que não é uma boa coisa.
Já, só o Isolamento, parece mesmo necessário. Não só pelas razões da pandemia, mas para refletir probabilidades e sobre o que é bom e o quanto pode ser perigoso andar por aí, e não é de hoje...
Parece estranha essa conversa, mas é porque ouço muito falar em falta de responsabilidade e os perigos da falta de isolamento; as vezes parece que é assim que me sinto, confuso.
Acho que sou irresponsável, às vezes, penso, mas ando por aí...
Converso comigo mesmo e assim afasto a solidão, fico só preocupado com a necessidade do isolamento.
Reflito, como já li a respeito, penso na existência da alma, como Platão; por isso, acho que não falo sozinho, falo com a minha alma!
Nos dias de hoje, falando com a minha alma não preciso de máscara...
E parece que é isso mesmo.
Durante o dia até que não, os afazeres dispersam as agruras do pensar e minha alma se aquieta; acho que as minhas confusões mentais ou irresponsabilidades vêm pela minha ingenuidade sobre os fatos entre a eternidade e o cotidiano. Daí eu sonho...
Acordado ou não. Eu falo e minha alma responde; ou eu durmo e tenho sonhos estranhos. Os sonhos da noite são mesmo confusos. Sabe-se lá por onde minha alma me leva...
Às vezes me lembro as vezes não. Não foge muito do dia a dia.
Personagens e situações inusitadas. Seja de noite seja de dia. Algumas engraçadas.
Algumas usam máscaras coloridas... Outras não.
Outras de arrepiar; até eu entender até eu despertar...
Que coisa incrível é usar ou não usar máscaras...
A imaginação é mesmo algo que a gente de um jeito ou de outro precisa perceber, controlar, se não, algo estranho persegue a gente até errar até poder acordar.
Acho que é mesmo impossível saber o que é que se armazena na mente da gente se a gente deixar ou não.
O quanto ela nos prega peça; o quanto ela pode defender a gente.
De outro lado já ouvi que há um Deus vivo dentro da gente... Ensinando o que se planta. Alimentando o que se engole. Dizendo o que se deve cuspir...
Repreendendo, ensinando o que se deve ouvir o que se deve falar, o que se deve calar...
Acontece que na maioria das vezes não damos valor a isso...
E assim é que sonho ruim atrapalha o dia. Sonho bom a gente logo esquece. Mas é certo que na dificuldade é que a gente cresce...
Acho que é assim que a vida nos ensina. Temos 24 horas no dia para viver, mas vivemos mesmo cerca de 10 a 12 horas, em vigília, no dia a dia.
Por onde andamos nas outras horas? Acho que lutando com os sonhos confusos ou rindo com nossas alegrias...
Acho que tudo isso é bom; mas ando confuso...
Por isso mesmo, uma boa caminhada, apesar dos riscos do cotidiano, me faz bem à saúde e a conversas com a minha Alma...
Caminhando e pensando, “até aqui..., tudo bem!”
Rrrrss...
Lineu Mattos
06/08/2020

Exibições: 11

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 12 da Antologia 

Volume 9 da Antologia

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

ALB/SP

</

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2020   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço