Quarentena tem dessas coisas. Nada para fazer e tudo por fazer. Como pode ?

Quando estávamos envolvidos nas nossas rotinas, não tínhamos tempo para nada; era o que reclamávamos... Hoje que não podemos sair, nos dizemos entediados e sem nada para nos ocupar.

Mas ... Quarentena tem dessas coisas...

As conversas voltam a todo instante para lugares onde estivemos, ou para eventos dos quais participamos, ou para hábitos que cultivávamos em outros tempos. A quarentena tem uma nota de nostalgia...

Algumas tarefas têm cara de quarentena, como as limpezas de armários, a organização de velhos retratos, roupas antigas a serem doadas  -  tudo junto com a promessa sincera de que nunca mais vamos acumular tanta coisa ! rsrs

Ver fotos antigas é uma distração extra. Revivemos momentos queridos, vemos rostos amados...

Mas já tiveram uma seção dessas fotos ?  Já se depararam com aquelas fotos que não desejariam que ninguém visse ? Penteados estranhos, roupas “infotografáveis” !  rsrs Calças boca de sino com camisas justas, estampado combinando com listras, ombreiras enormes ...  Moda ...

Moda tem tempo de validade. E serve para tudo.

Antigamente não havia festinha infantil sem ‘cajuzinho’ ; e hoje ?  Houve época que a moda era ter um cachorro ‘Pequenez’ ; hoje estão extintos ! Depois teve a moda dos Dobbermans, dos quais nem se fala hoje em dia...

Fico pensando como tudo é efêmero na vida humana. As pessoas, os gostos, as sensações...

Tudo é ciclo. Quando acaba, passa. Vamos em frente e esquecemos o que foi um dia.

Mas , ora ! É esse o segredo !!  O vírus é uma moda ! Vai passar !

E ninguém mais vai lembrar do ano fora do tempo , da preguiça, do tédio ...

Vai passar...

 

                                                             Waulena d'Oliveira

Exibições: 62

Responder esta

Respostas a este tópico

... E, sim, "quarentena tem dessas coisas", de puxarmos conversas mudas - nem chega a monólogo-, marcada por no máximo um ar de riso.
Quiçá, mais de um suspiro, um rubor na face, quando o olhar cai em uma foto onde à barra do vestido ficou alguns centímetros acima ou uma alça escorregou e o quase nada foi tão grande apelo sensual.
Sim, "quarentena tem dessas coisas" todas que, de súbito, nossa alma puxa à cadeira das lembranças, serve um chá em uma bela chávena antiga e o sabor forte mas delicado da maçã com o anis, reconstrói vidas fatiadas.
Obrigada pela viagem mental-emocional que me permitistes ao ler tua coluna.

Querida Veronica, só agora consegui ler os comentários. Desculpe a demora !

Mas é tão bom quando se vê reciprocidde de emoção !... Tão bom perceber que conseguimos dizer o que queríamos !..

Obrigada por essa parceria de viagem.

Bjsss, Wau



Veronica de Nazareth-Noic@ disse:

... E, sim, "quarentena tem dessas coisas", de puxarmos conversas mudas - nem chega a monólogo-, marcada por no máximo um ar de riso.
Quiçá, mais de um suspiro, um rubor na face, quando o olhar cai em uma foto onde à barra do vestido ficou alguns centímetros acima ou uma alça escorregou e o quase nada foi tão grande apelo sensual.
Sim, "quarentena tem dessas coisas" todas que, de súbito, nossa alma puxa à cadeira das lembranças, serve um chá em uma bela chávena antiga e o sabor forte mas delicado da maçã com o anis, reconstrói vidas fatiadas.
Obrigada pela viagem mental-emocional que me permitistes ao ler tua coluna.

Responder à discussão

RSS

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 12 da Antologia 

Volume 9 da Antologia

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

ALB/SP

</

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2021   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço