Urucum & Cacau

Escrevo com credos libertos
Sabores diversos
N’um mundo seleto em que eu vim morar
Sou xamã universalista
Oro, dou passe, reiki e rezo
Faço o bem e não cobro ingresso

Sou bruxa, feiticeira e pajé
Fumo chanupa, charuto e cigarro de palha
O que vem para destruir logo se espalha
Se não for para ajudar não atrapalha
Desfaço mandiga com arruda e guiné

Minhas letras têm raiz baiana
Linhagem africana do candomblé
Tem a magia de Olorum e Obatalá
A força de ogum e oyá
E a benção do meu pai oxalá

São letras de axé
Tem a cara do Brasil
A cor do urucum e do cacau
Com o aroma do café

Minhas letras têm etiqueta
Também rasgo o verbo com certeza
Se for preciso costuro a mão
Sou de ancestralidade artesã

Não escrevo sobre linhas marcadas
Nem com sílabas contadas
Com rimas regradas
Meu dialeto é de Iorubá

Cozinhei para os senhores de engenho
Colhi, cacau cana e preconceito
Fui diversão para o branco e p’ro preto
Apenhei no tronco até mostrar o esqueleto
Hoje sou cabocla de respeito

VNoblat

Exibições: 49

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço