Showtando, Showrando,e, showrindo

Dias tristes nesta pandemia. Só vejo coisas estranhas!
Nas entranhas das pessoas todas camufladas nas máscaras
Sem identidades, sem fisionomias, nem sorrisos...

Um show de horrores como, que, zumbis errantes, e, mudos
Falantes de vozes sufocadas, e, esbaforidas... Contidas!
No show da vida, estamos sem alegrias, e, show rando!

Neste circo dos horrores nas aflições chegamos aos estertores!
“Autoridades” se dizem protetoras com medidas profiláticas,
Mas, a pandemia aumenta, e, as mortes são sintomáticas!

Show mícios são proselitismos do “me engana que eu gosto”!
A polícia política dá as cartas do alto da “balança da Justiça”
E, o “Supremo Poder empunha a espada” sobre a massa castiça!

O brasileiro pobre, mas, honesto está “showtando” o balde,
E, entornando o caldo!... Sem trabalho, sem liberdade, sem ar...
Sem lenço para enxugar as lágrimas de seu “showrando”!

Jose Alfredo

Exibições: 5

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 12 da Antologia 

Volume 9 da Antologia

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

ALB/SP

</

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2020   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço