Era uma família de azulões
Azul especial e um encanto
Mais que encanto
De asas abertas a voarem
Planando
Competindo
Com a cor do céu
E com a cor do mar
E de repente
De uma pequena roseira
Repleta de botões
Um tímido beija flor
Olhou de longe
Planando no ar
Os azulões
Que não lhe eram afins
E planando ficou
Por bons minutos
Até que com diminutas asas
Lançou-se ao espaço
Em busca dos seus
E acho que os encontrou
E então vieram os pardais
Como se fossem do espaço
Verdadeiros chacais
Trigueiros e falsos
Buscando espantalhos
Acenei pros azulões
Mas eles não me viram
E então com a força
Da coragem
Mandei embora
Todos os pardais
E agora no meu ninho
Estou pleno estou plano
Feliz por ser apenas
Tão pequena sabiá
.
Márcia Fernandes Vilarinho Lopes

Exibições: 29

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo