Feita de saudades,

e de primevos sonhos,

Segues minha mãe,

agora como antes.

Te beijo a fronte,

com suave conforto,

e sempre recordo

cada caro instante.

És luz sempre cálida,

és vida que segue

em tudo criado,

em tudo constante.

Para sempre embalado

em teu acalanto,

eu sigo encantado

não menos infante.

Que cheguem os dias,

Do tempo as marcas,

que sigas sonhando

tecendo horizontes.

E se nada restar

se não a presença,

que dos filhos o amor

lhe sirva de fonte.

Exibições: 14

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

 Chegou

o Volume 7 da Antologia!

      À Venda Antologia

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

VEM AÍ !!!

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Não há aniversários hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo