A princípio tudo era flor
e com o ardor do amor,
nós abríamos o coração.

A princípio tudo era empatia
todo mundo se entendia,
até a primeira decepção.

E então tudo se tornou espinhos
e passamos a ficar quietinhos,
guardando toda a aflição.

Eis que toda a indeferença
foi decretando uma sentença,
de eterna solidão...

Exibições: 12

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Comentário de maria jose zanini tauil em 9 abril 2018 às 23:15

Lindo!

Editora Casa da Poesia

 Chegou

o Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo