Há por dentro do peito,
Gritos que se desfazem em cores,
E festejos no borbulhar entoado de tuas mãos,
De encontro à minha face, taciturna,
Que se ancora em solos e solfejos, ao talhar da noite.

Na procura do teu nome,
Os lábios condensam um sabor de mistério,
Que me rasga o corpo,
Prorrompe da alma,
E estremece o tempo, que se cala.

Gemidos são como versos aleatórios,
Soltos ao sabor do vento,
Que, se nada traduzem,
Nada expressam, quando raia o dia,
E o sol em bocejos, cumprimenta a saudade que amanhece.

Em quase todas as vertentes,
Permanecem ecos quando te falo de amor.


Ressoam dentro do teu sorriso intacto.
E de tua face,
Diante do espelho emoldurado.

Falo-te pelo silêncio.
Responde-me pelo nada.

E o amor...

O amor continua sendo apenas,
Uma palavra...

Angela Lazzari

(Aos três dias do mês de Junho de 2018).

Exibições: 69

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

 Chegou

o Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo