DESLUMBRAMENTO

Teu coração que sempre a tristeza esporeia,
Ensaguentando o céu de feridas rubras,
Diz à própria dor ,
Num sombrio e cálido diálogo,
Que a sua sede sacia nesse amargo sensualismo...

E,
Do fundo deste abismo em que sucumbe,
Num deslumbramento de luxúria e gozo,
Quanta volúpia, quantas convulsões!

Marilândia

Exibições: 67

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Comentário de maria jose zanini tauil em 20 agosto 2018 às 22:20

Sensualidade extrema!
Beijos!

Editora Casa da Poesia

Chegou o Volume 8 da Antologia

 Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Não há aniversários hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo