Os pés hoje descalços
calçaram botas de ouro, fartaram-se
nos percalços
de outros que já se foram.

Cada um na sua vez!

Lei da vida imutável,
não existe um revés,
que seja injustificável.

Por isso confio no altíssimo,
que a tudo vê, tudo escuta,
e só ele pode julgar
com verdade absoluta.

O sol nasceu para todos!

Cada um na sua vez!

Não reclame da sua vida,
um dia já foi freguês.

A eternidade te espera!
Não que isso justifique
Vossos atos desumanos

A palavra ainda insiste,
para esclarecer os danos.

Se voce não quer ouvir,
não quer lhe dar atenção,
não reclame se o porvir
lhe trouxer desilusão.

Valéria Brasil Calegari

Exibições: 3

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2020   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço