Toma-me em cálice sagrado,
Na boca infame, no pecado que seja santo,
Na demora dos teus dias em penitência,
Como fonte divina da redenção.

Blasfema a tua ira,
Em arrependimento,
No perdão que não te é lícito,
Nem pela água benta que te fecha os lábios.

Verga os joelhos,
Pela derrota que não ousas confessar,
Na tirania insolente em que me julgas,
Porque o inferno, as portas não se te abrem.

Clama pelo juízo (- o final -),
E pela cruz santa que te absolve,
Que redime os pecadores insanos,
Que lava o teu corpo ( - um dia meu -),
Curando as chagas.

Vinho santo ( - o meu -),
Que purga os teus dias.


E cujo perdão,
Encontrarás somente,


No dia da tua libertação...!

Angela Lazzari

(Ao primeiro dia do mês de fevereiro de 2018).

Exibições: 3

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

         À Venda Antologia

                VOLUME 6 

    

Livros à Venda
CLIQUE AQUI

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo