Brincar de viver

Queria um mundo feito de canto de pássaros
Que as pessoas fossem arborizadas
Onde o sorriso da vida é o açude
E o abraço d’agente é o céu

Queria que avião fosse de papel
Assim como o barco movidos a sonhos
Sonhos cabem no chapéu de mágico
E a felicidade no tombo do palhaço

Que a verdade deslizasse saltitante
Como brincando em nossa boca
Que o amor fosse um parque de diversões
Onde a maior ferida fosse um arranhão

Que as feridas curassem com beijos
E a inocência fosse a flor da vida
Onde o desejo seria como brincar pelados no rio
E felizes descobríssemos que teríamos um irmão

Queria que as pessoas corressem descalças na chuva em dias de verão
Que as portas e as janelas, assim como o coração não tivessem tranca
Que a bondade fosse comida de domingo feita por mãe
E a maldade apenas uma lenda, como o bicho papão

Queria que as crianças fossem eternas
Porque em seus olhos nascem poesia
Onde basta um sol atrás da montanha
Para mais um dia brincar de viver.

VNoblat

Exibições: 42

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Comentário de Verônica Noblat em 24 novembro 2017 às 13:22

Boa tarde, Rosalina!

Lindo são os olhos de quem consegue entender a mensagem. Grata pela leitura, Rosalina. Bj querida.

Comentário de Rosalina Gonçalves Ramos Herai em 23 novembro 2017 às 23:18

Boa noite amiga! Só posso dizer que é maravilhoso, muito lindo!

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo