Sou como a algazarra que os pássaros promovem pela manhã
Anunciando a chegada da luz. E quando o sol esmaece no horizonte meu eu se esparrama de alegria para abraçar-me com a lua

Sou como a águia, foco minha visão longincuamente e nahora de dar o bote, sou carrasco; deixo marcas de minhas unhas para a maldade; tão abominável aos nossos olhos.

Sou como bambu, minhas raízes vão às profundezas da terra para que quando o vento revoltoso vier; eu não me abalarei, serei resistente

Sou como mãe...nesse momento choro pela ausência da minha. Não tenho ventre mas ja gerei muitos filhos; muitos filhos mesmo, e esses filhos chamam-se POESÍAS.

---------Mário Btóis.

Exibições: 15

Comentar

Você precisa ser um membro de Casa da Poesia* para adicionar comentários!

Entrar em Casa da Poesia*

Editora Casa da Poesia

Chegou o Volume 8 da Antologia

 Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo