Todas as mensagens do blog (1,828)

A CASA DA POESIA FAZ 9 ANOS!



Uma morada para a poesia

E todos os habitantes sonham

Com a alma

Com sentimentos

Com as mãos!

Em suas paredes ecoam

As vozes dos silêncios

Santos e profanos

Conhece como ninguém

Cada inquilino que tem

Sua sensibilidade é latente

Não vive…

Continuar

Adicionado por maria jose zanini tauil em 16 abril 2018 às 20:30 — Sem comentários

Haikai

HAIKAI

Densas neblinas…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 16 abril 2018 às 10:30 — Sem comentários

Haikai

HAIKAI

Boceja a noite

Clarões da…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 16 abril 2018 às 10:12 — Sem comentários

FOTOPOEMA

Fotopoema

Olhar de perdão para o passado…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 16 abril 2018 às 10:08 — Sem comentários

IDÍLIO EM PROPAROXÍTONAS

Adicionado por Ógui Lourenço Mauri em 15 abril 2018 às 20:27 — Sem comentários

DA VIDA, FAZ POESIA!

Adicionado por Ógui Lourenço Mauri em 15 abril 2018 às 20:22 — Sem comentários

Lua de Sangue

LUA DE SANGUE

Rubras sensações…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 14 abril 2018 às 17:00 — Sem comentários

Fotopoema

FOTOPOEMA

Noites de loucura e de prazer…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 14 abril 2018 às 17:00 — Sem comentários

Fascínio

FASCÍNIO

Do ermo dos céus

Nas cálidas mãos da noite

Crispadas em desejos,

Ansiosas estrelas…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 14 abril 2018 às 16:57 — Sem comentários

AUTÓFAGA

AUTÓFAGA

(sextina: fome, carne, pele, mente, toque, mesma)

Das entranhas lhe vem estranha fome

Que lhe consome toda a sua carne.

Frêmitos de sentir-se à flor da pele

Lhe agitam os desvãos da vaga mente

Ao perceber-se entregue ao próprio toque,

N'uma exploração húmida em si mesma.

Os dedos que percorrem a alma mesma

Têm no êxtase o saciar d'aquela fome

Certa de que, no corpo, o ser se toque.

Assim, a aura que envolve a nua…

Continuar

Adicionado por Ricardo Cunha em 13 abril 2018 às 23:31 — Sem comentários

Desalento

DESALENTO

Perdida entre crepitantes sonhos, mágoas que em mim choram trago escondidas nos seios em…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 13 abril 2018 às 10:26 — Sem comentários

Fotopoema

FOTOPOEMA

Magia das noites eternas…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 13 abril 2018 às 10:23 — Sem comentários

Contrassenso

CONTRASSENSO

À procura do amor que me mentiu…

Continuar

Adicionado por Marilândia marques Rollo em 13 abril 2018 às 10:16 — Sem comentários

DON'ANA (sextilha)

DON'ANA (sextilha)



Era uma mulher do lar;

D'aquelas para casar

E que se quer sempre sua.

Que sabe bem seu lugar,

Pois, tem recato no andar

Quando passa pela rua.



"Don'Ana" tinha por nome

E um desejo que a consome

Desde quando pequenina.

Senhora sem sobrenome,

De ser alguém tinha fome:

Só p'ra casar se destina.



Noiva, era muito feliz,

Tendo tudo o que quis

Porque sempre do seu lado.

Por fim, para… Continuar

Adicionado por Ricardo Cunha em 12 abril 2018 às 10:51 — Sem comentários

Sentimentos e elementos

Sensações, vulnerabilidade e pensamentos

Entes queridos e até os inconvenientes 

Navegadores e historiadores

Tratamento por igual ou um pouco desigual

Imigrantes são nossos amigos

Mentes brilhantes que nos somam

Elementos trazem o fundamental

Natureza que forma um ciclo

Tormentas e devaneios fazem parte

Oscilando, batidas e palpitações 

Somos nós mesmos e eu sou eu mesmo

Inscreva-se no canal…

Continuar

Adicionado por Marcos Maciel em 12 abril 2018 às 4:04 — Sem comentários

Rubra liquidez

Adicionado por maria jose zanini tauil em 12 abril 2018 às 0:30 — Sem comentários

CARÍCIAS (vilanela)

CARÍCIAS (vilanela)

Amemo-nos sem pressa, suavemente,

Ainda que a cidade a todo instante

Se faça com mil sons sempre presente.

Olhemo-nos nos olhos, frente a frente:

Tudo há-de acontecer ao teu talante...

Amemo-nos sem pressa, suavemente.

Busquemos o sorriso mais contente,

À espera que o prazer no peito arfante

Se faça com mil sons sempre presente.

Porque doce é o amor quando se sente

O rosto aberto em gozo d'uma amante:…

Continuar

Adicionado por Ricardo Cunha em 11 abril 2018 às 23:39 — Sem comentários

Parabéns casa nossa!

Adicionado por MARIA LUIZA KUHN em 10 abril 2018 às 23:31 — 1 Comentário

Arquivos mensais

2018

2017

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

1999

Editora Casa da Poesia

       Está Chegando o       Volume 7 da Antologia!

      À Venda Antologia

                VOLUME 6 

    

Livros à Venda
CLIQUE AQUI

PARCEIROS

VEM AÍ !!!

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Não há aniversários hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo