Olá queridos moradores da Casa da Poesia... Bem vindos!

Para iniciar nossa sala filosófica eis que proponho um tema basal e elucubrar um pouco sobre como encarar a morte.

Para Arthur Schopenhauer, o fato de que nossas vidas estejam cercadas por nada nos leva a sentir ansiedade metafísica, "uma angústia existencial que nos assalta quando tentamos contemplar o abismo eterno do Nada", como resume Simon Blackburn em Pense: Uma Introdução à Filosofia.

Os dois nadas não nos angustiam igualmente. Pode dar vertigem saber que milhões de anos se passaram até nascermos. Mas o nada que virá é o que costuma dar mais medo: milhões de anos passarão (provavelmente) quando já estejamos mortos. Por que não escutamos o filósofo romano Lucrécio, quando diz em Da Natureza das Coisas, que esta eternidade até nosso nascimento é um espelho do que vai acontecer depois de nossa morte?

De fato, para Epicuro, esse medo é irracional. A morte não é nada, já que, uma vez mortos, não poderemos sentir absolutamente nada. Não deveríamos temê-la porque, quando chega, já não estamos lá.

As palavras de Epicuro são geralmente recebidas com admiração, mas sem causar muito efeito. Antes de nascer, não existíamos, mas de fato existimos antes de morrer. Certamente, não saberemos como é estar morto, mas saberemos "o que significa morrer", como observado por Oriol Quintana em 100 preguntes filosòfiques (100 perguntas filosóficas).

E se pudéssemos ser imortais? Segundo o britânico Bernard Williams, a imortalidade seria entediante e tiraria o sentido de nossas vidas. Sempre haverá tempo para fazer tudo e, consequentemente, não teríamos urgência em fazer nada. Ou seja, talvez não consigamos nos livrar do medo da morte, mas, pelo menos, pode servir para nos lembrar que devemos aproveitar nossas vidas. E não ainda que sejam breves, mas precisamente porque são.

Baseado em JAIME RUBIO HANCOCK

Comentem... Pois essa seção é para filosofarmos! 
Tudo é bem vindo

Exibições: 27

Responder esta

Respostas a este tópico

Neste momento, com efeito, a morte tem seu destaque: lembre-se da morte, cuide da vida...

Lembro sempre das palavras da minha avó que dizia: " Devemos trabalhar como se nunca fôssemos morrer e viver como fôssemos morrer a qualquer momento". Hoje eu entendo quanta sabedoria havia em sua palavras.

Bom navegar por afirmações diversas... De fato temos o mal hábito de protelar as coisas... Embora eu tenha a ansiedade em fazê-las, o que também nem sempre é bom..., mas opto por não deixar para o amanha. Às vezes a vida corrida nos impede de ser, nem sempre dá..
Abraços,

Acho que o tema favorece horas de Debate que estará cercado de pressupostos inexatos e que nunca serão comprovados. Mistura-se a filosofia com religião, com espiritualidade, com ciência e com o melhor de tudo... com o avanço do conhecimento que filósofos não tinham, porque o mundo era outro.
As teorias são válidas, porque seguem um padrão de metodologia científica. Mesmo que os dados fossem absurdos para o hoje, a lógica prevalecia.
Partir de pressupostos classificados como conhecimento definitivo que estabelecem que existe o preto e o branco... o sábio e o ignorante... o certo e o errado... a morte e a vida... o tudo e o nada.
Como opor tudo ao nada??? Tudo existe, portanto, é. Nada não é. Não existe, não tem definição, se tivesse seria algo. Vê-se que faltava abertura, tanta que opor a vida à morte é absolutamente contraditório cientificamente e espiritualmente. Morte é vida continuada em outro plano. São a mesma coisa, uma tangível e outra, não. Isso em termos, porque se quisermos saber o que é a vida, devemos olhar para um corpo sem vida. Aí entenderemos que o segredo da vida está além do simples ser e estar.
Vida é tudo, é espiritual e imortal, morte é nada, porque não é.
Indico a leitura de um livro chamado: Einstein e Kardec. Ele mostra a evolução da ciência até o máximo possível para o ser humano. Até que ele para na chama da vida. No espírito criado por um Deus que é tudo.

Responder à discussão

RSS

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 12 da Antologia 

Volume 9 da Antologia

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Não há aniversários hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2020   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço