A vida tem caráter iniciática, filosófica e progressista; nascemos, crescemos, e depois... morremos por um torresmo. Assim, é necessário perceber que nem tudo é pau nem tudo é pedra. É possível observar que há um pêndulo a comandar nossas vidas. Um dia levantamos alegres e satisfeitos. No outro...; azedos e contrariados. Parece mesmo que as cores do dia mudam de acordo com o nosso humor; sem motivos, aparente. Mas parece certa a ideia do Poeta que produziu a letra da canção: “o acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído”.
Sim. Efêmeras necessidades. Descuidadas vaidades. Prenúncios de alegrias ou desconfortos, da razão de ser. Aproveite as oportunidades do balanço do pendulo... Faça do seu limão uma limonada. Observe: porquê morrer na véspera? Antes, aproveite os torresmos e faça a melhor feijoada da sua vida... Kkkk!
Lineu Mattos

Exibições: 8

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço