O que há pelos nossos caminhos? Por que sentir-se sozinho? Algumas vezes me distraio em pensamentos. Absorto em ideias, caminho recordando vidas. Minha alma às vezes está triste; às vezes alegre e esperançosa. E assim vou vivendo sem perceber que os caminhos do pensamento não são iguais aos caminhos por onde se pisa. Ingenuidades de quem vive fisicamente. Por mais que me esforce ao dar o passo seguinte, sei que o caminho não volta, tem que ser seguido, é imponderável. Tem que ser realizado. E assim, de tanto excluir minha ansiedade no dia de amanhã, não me dou conta que o hoje passa sem a minha presença. Nesse caminhar procurei conselhos, procurei fazer Amigos. Permaneço por algum tempo sensível e enigmático. Revejo meus conceitos. Escrevo minha historia. Acho que tudo isso ainda não é suficiente, pelo menos pelo que vêm do meu coração. Ou da minha consciência ou das estórias que percebo são contadas pelo sopro do vento quando percebo o que por aqui venta; de forma muito agradável. Escrevo e esqueço. Às vezes me pego não identificando minhas memorias então percebo que se trata de pensamentos cruzados (como uma linha telefônica cruzada, meu sistema ainda é antigo). Percebo que há dois sinais nítidos: Um que diz coisas incompreensíveis (essa ligação certamente não é pra mim) e outra, que ao repetir meus pensamentos parece dar sentido ao tema que completa minhas indagações, meus medos, minha ansiedades, minhas esperanças... Ouvi, por exemplo, que amar de forma incondicional é um problema; pois, ninguém que é amado dessa forma corresponde ao amor que lhe é destinado. Então alguém me diz baixinho, que não é verdade porque quem ama incondicionalmente nada espera, apenas ama! Esperar, é colocar escolhas ao momento, é condicional a quem espera. Devo admitir, escolher tem um “quê” de incondicional. Devo admitir também que amar incondicionalmente é algo que só pode ser possível por alguém divino! E então mais uma vez o vento sopra trazendo uma chuva de pétalas de flores com um aroma excepcional igual a aquele aroma da brisa que me dizia que incondicional é o amor e não a quem se ama... Um aroma de pétalas não se compara ao amor, mas a sua essência é comparável a quem se ama... A essência não escolhe a quem a ama é escolhida por quem percebe quando e onde ela se apresenta... Não escolhe assento, esparge, faz-se sentir... Doa e alimenta a vida. É como um lugar de onde um dia parti e fui acolhido, e que ainda posso sentir a sensação e o aroma daquele amor que incondicionalmente me foi dado pelo colo materno que um dia me acolheu... Que acolhe a todos... Então, emocionado e agradecido nem olho pra trás fico com a sensação da presença da pureza das almas que por aqui circulam que por aqui ajudam; que por aqui buscam a quem consegue reconhecer que só existe uma saída para encontrar o caminho da felicidade na vida: "O amor". “Ai descubro que uma parte de mim é um bom exemplo, a outra, é humana...”.
Lineu Mattos

Exibições: 12

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o Volume 8 da Antologia

 Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo