Suspirava sozinha enquanto pensava no tempo...

O tempo que andava tão louco !  Acordara com um sol esfuziante na janela, mas agora o céu nublara e um ventinho frio brincava na sua cortina ...

Suspirava sem ânimo. Mais um dia em casa. Coisas de quarentena. Não estava com paciência para se entregar a um livro. Tudo estava arrumado. Nem os vizinhos ajudavam, todos escondidos e entocados, ruas vazias e silenciosas... Apenas um gato branco languidamente se espreguiçava numa janela próxima  -  e ela pensou se haveria humanos naquele apartamento ...

Lembrara das notícias sobre golfinhos e tartarugas na baía, sobre onças e cabritos pelas ruas, sobre flamingos colorindo Veneza... Não era um espanto tudo aquilo ?!

Pra onde fora toda a poluição ?! Até o ozônio se recuperara !...

Não teria sido mais fácil consertar tudo ao invés de tentarem se matar, ao invés de nos lançarem nesse pandemônio ?...

Tempo louco esse ... Humanos escondidos em suas cavernas e as cidades desertas habitadas pelos animais... – em seu devaneio quase viu um dinossauro mastigando uma árvore ...  rsrs  Não !! Era apenas a turma da Light consertando um transformador ... rsrs Lembrava de um filme antigo mais ou menos assim ... Teria sido uma profecia ? Ou apenas consequência ?...

 

Consequência da voracidade humana ...

Ora, o mundo é tão grande ! Há espaço para todo mundo ! Por que não co-existir ?... Qual a utilidade de linhas e limites, se todos somos filhos deste planeta ?...  Por que pensar que a tecnologia pode nos fazer mais felizes que um banho de mar, que o cheiro das flores, que uma noite de luar ?...

 

Perdida em seus pensamentos não vira a chuva chegar. Precisava preparar algo para comer. Quem sabe ouvir as notícias sobre quando tudo vai voltar a ser como antes.

É. Já é outono... E mais um dia vai passar.

Vai passar ...

                                                                  Waulena d'Oliveira

Exibições: 17

Responder esta

Respostas a este tópico

Que texto agradável de ler, querida. Tão, eu, tão você, tão todos nós.Não pude deixar de rir com o dinossauro. Beijinhos!

Responder à discussão

RSS

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 12 da Antologia 

Volume 9 da Antologia

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

ALB/SP

</

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2020   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço