COLUNA DA MARIA LUIZA 91 – POESIATERAPIA O QUE NOS CONTA A ANTIGUIDADE

Terapia de poesia, que modernamente é identificada a para bem estar e crescimento pessoal, dizem os pesquisadores que pode ser rastreada até o homem primitivo.
Nos ritos religiosos, em que os xamãs e os feiticeiros participavam, costumavam “cantar” poesia para o bem-estar da tribo ou do indivíduo.
Afirmam as mesmas pesquisas, que está documentado até o quarto milênio AC.
O que fez muito sentido para mim, é que no antigo Egito, as palavras, poesias, versos, com a intenção de cura, eram escritas em papiro e depois dissolvidas em uma solução para que as palavras pudessem ser ingeridas fisicamente pelo paciente e materializassem a cura o mais rápido possível.
Parece-me que estamos falando de física quântica neste caso não é?
Historicamente, o primeiro terapeuta de poesia foi um médico romano com o nome de Soranus no primeiro século DC, que prescreveu tragédia para seus pacientes maníacos e comédia para aqueles que estavam deprimidos.
Fazendo uma pequena reflexão nos parece que não é surpreendente que Apollo seja o deus da poesia, bem como da medicina, já que a medicina e as artes estão historicamente entrelaçadas.
Durante muitos séculos, a ligação entre poesia e medicina permaneceu obscura, no sentido de estudos e pesquisas.
Mas como nos conta Domenico de Masi em seu - O Ócio Criativo – na evolução do animal ao homem, foi preciso “a descoberta da beleza, como compensação para a dor”, e aí palavras desta escritora a “poesia para compensar as agruras do cotidiano”.
Poesiaterapia para o bem estar.
By MLK
21/06/2019

Exibições: 15

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço