SOCORRO!

Socorro! Desembarquei no lugar errado. Na nave que me conduziu até aqui, ouvi falar que o ser humano era um ser racional.
E não é que eu acreditei! Mas acho que errei a data, o lugar ou a civilização.
Sou teimosa e vivo por aqui alguns tantos anos. No planeta Terra, eu quero dizer.
No planeta que, obviamente não tenho a pretensão de que seja o único do universo a ter vida inteligente, mas isso por ora é para os ufologistas e outros “istas”.
Mas como dizia, no planeta que tem uma natureza exuberante e tudo é conectado, tudo tem uma razão de ser, desde o ecossistema, das cadeias alimentares até a perfeição divina do corpo do homem. Aliás, que engenhoca mais perfeita este tal de corpo animal não é?
Mas este lugar anda ficando muito feio e triste, por mais que meu olhar treine para continuar otimista.
Parece tudo tão perfeitamente harmônico: como desembarcamos neste planeta e como vamos embora dele. Tudo a seu tempo, tudo com suas oportunidades, tudo calibrado, o homem e seu livre arbítrio, que por vezes nem parece tão livre assim.
Não tenho dúvidas de que nós é que desarmonizamos e descalibramos.
Por vezes, enchemos demais os nossos pneus e nem damos bola para a calibragem correta e vamos andando, andando, até esvaziar e puf!
Pifamos o nosso coração, a nossa mente a nossa crença, a nossa vida. E, pior ainda, muitas vezes pifamos com a vida de quem dizemos amar.
Por isso:
Socorro!! Se esta é a palavra derradeira potencializada pelo sentimento de impotência total que me assola, ou então, alguém me explique a insanidade do mundo devastado por guerras que hoje assistimos em tempo real
Pelas guerras cotidianas, causadas pela indústria fake News, pelas milícias, pela polarização cotidianas e insans nas redes sociais; fações criminosas em suas matanças diárias, capitalismo em sua versão mais nefasta: exploração do homem e da natureza, que matam diariamente também.
Desculpe, mas eu não concebo atos de heroísmo em qualquer guerra. Nem reconheço ganhadores.
Não há para mim qualquer sentimento de patriotismo que justifique a guerra, seja ela noticiada em temo real, seja ela sutilmente disfarçada no cotidiano.
Por favor, como explicar que alguém possa querer destruir tudo e já pensar na reconstrução, como se gente e pátria fosse um colorido joguinho de lego, e já vai sorteando os parceiros para a reconstrução, vendo a fatia cabe a cada um: Você para construir estradas, você para construir paredes, você para trabalhar na energia elétrica, você vai montar móveis, máquinas etc etc etc.
Tenho tantas perguntas que não caberiam aqui.
Quem vai devolver mães aos filhos órfãos?
Quem vai devolver filhos mortos aos pais?
Quem vai colocar braços novos no menino mutilado?
Que vai lavar o mar mediterrâneo de tantos naufrágios?
Quem vai rezar pela paz, que vai abraçar a cultura da paz?
Pais sem fronteira, gente sem fome? Quem vai agir?
Entendo cada vez menos por que mentiram para mim que o homem é um ser racional.
Alguém me conta a verdade, por favor, senão começo a gritar:
SOCORRO

By MLK
2003/repaginada 2018, com poucas alterações! Socorro

Exibições: 30

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo