Alegria de cata-vento

Ele se pintou de muitas cores. Mas andava tristinho naquela caixa de papel guardada na prateleira.
Até que ela sorriu para o Cata-vento. Feliz ele pensou: não estou tão só.
Ela tristinha que estava, foi se alegrar numa floreira que havia plantado e começara a florir.
Achou que ali poderia plantar também o cata-vento.
Ele, cheio de garbo se preparou: O que iria acontecer?
Fincado em um espacinho da floreira, nem se mexeu. O que acontece por aqui, pensava.
Ela, ainda tristinha olhou para ele e pensou porque não voas cata-vento? Cadê o vento pensava ele?
Ela num delicado toque despertou a musica que ele esperava para bailar. A favor do vento ele loucamente girou.
Estava feita a magia.
Ele girando e cumprindo o que viera fazer.
Ela encantada para encantar o que viera fazer.

By MLK 09/08/2018

Exibições: 17

Responder esta

Editora Casa da Poesia

 Chegou

o Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo