Desapego

Desapegar-se! Eis a questão.
Roupas, calçados, utensílios, tudo pode ser reutilizável, quando não, repaginado ou customizado.
É difícil abrir armários e compartilhar, porque nos mantemos iludidos no paradigma do ter. Da propriedade.
Na área do direito, temos uma clara diferenciação dos conceitos de posse e propriedade.
Talvez tenhamos que nos socorrer destes conceitos jurídicos e entender que tudo o que “temos” é na verdade, o direito e/ou merecimento de ter por empréstimo.
Temos a felicidade do direito à posse.
Mesmo sendo difícil abrir armários da casa, o fazemos eventualmente.
Mas o desapego difícil de praticar é aquele em que temos que mergulhar no profundo silencio do ser.
Desapegar-se de mágoas, de comportamentos, de padrões nefastos de pensamento e ação. Desapegar-se até de amar demais. Sabe o mais difícil? Desapegar-se dos filhos quando ele batem suas asas e voam....
O exercício e o aprendizado são permanentes e árduos.
Mas é aí que mora a ideia de liberdade.

By MLK junho 2018

Exibições: 109

Responder esta

Respostas a este tópico

MARIA LUÍZA! VOCÊ TEM RAZÃO. BELA REFLEXÃO SOBRE OS EXAGEROS DO QUERER E DO APEGAR-SE.

PARECE QUE O SER HUMANO TEM MESMO UMA TENDENCIA NATURAL PARA ACHAR QUE POSSUI UM DIREITO SUBJETIVO DE POSSE SOBRE TUDO E SOBRE TODOS.

UM ABRAÇO!

Responder à discussão

RSS

Editora Casa da Poesia

Chegou o Volume 8 da Antologia

 Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

ALB/SP

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo