Lamento se cura com unguento?


A folha em branco me aguarda. Paciente como o que é servil.
A cada dia que passa, sinto mais fundo a responsabilidade de usar o servilismo da folha.
Escolho as palavras, o tema. Quando desejo esbravejar paro um minuto: Ela, a folha merece isso? Um borrão, uma distorção, uma ira descontrolada?
O freio para o sujo, para o lamento, para o excremento vem em meu auxilio, rápido e fugaz.
A palavra! Ah a palavra esta doida! Deve conhecer muito bem o seu poder. Por isso nos tenta tanto. A nós escritores, poetas, aprendizes.
Enquanto vou processando isso, a folha inerte me espera impávida.
Nestes tempos, ela se chama word, mas segue como meu depositário de palavras, como quando usava caderno e caneta. Na real , temos um caso de amor, confesso!
Mas o lamento é visita recorrente nestes tempos planetários e desesperadamente quero usar a oratória para transformar o lamento.
Mas o que sinto ao final é que precisamos de escutatória, como dizia Rubem Alves.
A folha me escuta. A palavra me escuta. Devo-lhes respeito e honra.
A escutatória é unguento mágico. Carregado de rezas invisíveis, benzimentos ancestrais. Carrega o poder do fogo. A serenidade do campo celeste. O esplendor das estrelas.
Muito???? Use esse unguento sem moderação.
Depois a gente compartilha o resultado.

By MLK 2018

Exibições: 25

Responder esta

Editora Casa da Poesia

 Chegou

o Volume 7 da Antologia!

      À Venda Antologia

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo