O primeiro Gole de café


Quando acordo preciso do gole.
O primeiro gole de café é como um bom dia para meu DIA!
Desce morno e confortável. Já me ensinaram primeiro tomar um copo d’água. Se possível com limão. Por vezes lembro.
Mas o prazer do gole do café é ótimo. Uma coisa tão prosaica, não é?
Me remete ao gosto da laranja e da manga. As primeiras frutas que degustei depois de um pós operatório complexo. Nunca, mas nunquinha tinha sentido um gosto tão maravilhoso. Saboreava as frutas e sorria por dentro.
Aí me pergunto por que hoje senti vontade de escrever sobre isso?
Talvez porque tenho percebido que deixamos passar os prazeres tão fugazes por estarmos desatentos.
Enquanto me sento à mesa já quero ver meu cel. Meu whats. Minhas redes.
É urgente, premente, afinal preciso daquela dose diária e tóxica que vem por ali?
Será isso a droga sintética mais nociva da atualidade? Não quero crer, até porque igualmente pode nos conectar com tanta coisa boa.
Volto ao gole, à fruta, à música (de preferência clássica) que adoro que me faça companhia durante a primeira refeição.
Respiro! Tudo, mas tudo mesmo requer disciplina. Até o estar presente no aqui e agora.

Bendito Gole!

by MLK 28/02/2020

Exibições: 30

Responder esta

Respostas a este tópico

Uma realidade conjuntural que apossou-se das mentes coletivamente.

Responder à discussão

RSS

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2020   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço