Olavo Bilac sofreu o primeiro acidente de carro registrado no Brasil

O Rio de Janeiro ,do final do século XIX, passava por uma série de transformações urbanas. Essas mudanças de cenário ocasionaram situações inusitadas. Uma das mais curiosas é que um dos primeiros detentores de um carro no Brasil, o jornalista José do Patrocínio, convidou seu amigo Olavo Bilac para dar uma volta pela cidade. Só que ele não sabia que Bilac não tinha a mesma habilidade de dirigir quanto tinha de escrever. O autor bateu o carro a 4km/h e provocou o primeiro acidente registrado no país.


O autor de “Os Sertões” foi assassinado pelo amante de sua própria esposa.

Segundo relatos históricos, Euclides da Cnha era um homem muito focado em trabalho e deixava de lado sua vida familiar. A sua esposa decidiu sair de casa e engatar um relacionamento com outro homem. Euclides, inconformado, pegou uma arma e foi à casa do sujeito, que acabou o matando. Anos mais tarde, o filho do escritor tentaria vingar a morte, mas também foi assassinado pelo mesmo homem.

Oswald de Andrade casou no cemitério:


Casado com a pintora Tarsila do Amaral, Oswald traiu a esposa com a escritora Patrícia Galvão, “a Pagu”, que acabou engravidando. Para manter as aparências, a jovem se casou com outro homem. No entanto, em plena lua de mel, deixou seu recém-marido e fugiu com o modernista. Em 5 de janeiro de 1930, Oswald e Pagu protagonizaram um dos casamentos mais bizarros de nossas Letras. Diante do túmulo da família Andrade, os dois trocaram alianças para registrar a união simbólica perante os antepassados do noivo Mas quem foi PAGU?. Veja no final dessa matéria.

Graciliano Ramos, quando prefeito, multou o próprio pai

O autor de clássicos como “Vidas Secas” e “Angústia” foi prefeito da cidade de Palmeira dos Índios, em Alagoas, após ganhar a popularidade da região como diretor de uma escola. Empossado no novo cargo, criou um código de postura moral com 82 artigos, dentre os quais proibiu a criação de animais na rua. E, lutando contra o clientelismo e o nepotismo, não poupou ninguém das novas leis. Prova disso é que o escritor-prefeito multou o próprio pai por criar porcos em vias públicas.

Guimarães Rosa e sua esposa ajudaram a salvar a vida de centenas de judeus durante a 2ª Guerra Mundial

O autor de Grandes Sertões:Veredas e Aracy Moebius de Carvalho Guimarães Rosa se conheceram em Hamburgo, quando o escritor era embaixador do Brasil na Alemanha e Aracy, secretária. Vivendo no país na era Hitler, os dois começaram a tentar salvar a vida de pessoas que corriam risco de morrer nas mãos do ditador. Enquanto o literato falsificava passaportes para judeus fugirem para o Brasil, a esposa conseguia carimbos e assinaturas falsas para liberar a entrada dos fugitivos no país. O casal salvou a vida de centenas de pessoas.

PATRICIA REHDER GALVÃO: A PAGU

Conhecida pelo pseudônimo de Pagu, foi uma escritora, poeta, diretora de teatro, tradutora, desenhista, cartunista, jornalista e militante política brasileira. Nascimento: 9 de junho de 1910, São João da Boa Vista, São Paulo Falecimento: 12 de dezembro de 1962, Santos, São Paulo Cônjuge: Benedito Geraldo Ferraz Gonçalves (de 1941 a 1962), Oswald de Andrade (de 1930 a 1935)
Livros:Parque Industrial/ Paixão Pagu: a autobiografia / Safra Macabra

Exibições: 62

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço