GRANDE SERTÃO: VEREDAS

(Guimarães Rosa)


Riobaldo, velho fazendeiro

Homem de armas e letras

Ininterrupto monólogo

De um ex jagunço a contar

Casos de perseguição

De lutas pelo sertão

Nas matas, nos rios e lagos

Em casos de amor

E momentos de reflexão

Sobre a vida e sobre a morte

Amansando cavalo brabo

Vitória de Deus sobre o diabo

Discurso fluido

Diabo existe? Nada lhe acalma

Diacho... ele fez pacto com um!

Quer salvar a alma,

Antes que seja tarde

Mente caótica que arde

Verdadeiro ou falso?

Vivido ou imaginado?

Reconstruir o vivido

Para que seja decifrado

Tudo é... tudo não é

E Diadorim?

O filho de Joca Ramiro!

Que valente guerreiro

Queria vingar num respiro

A morte do pai...

Que ambígua relação!

Amor? Amizade? Obsessão?

Embaraço de ambos

Ante a natureza poética

Mas o desfecho não é como se quer

Morre Diadorim! Que tristeza!

E Riobaldo descobre desolado

Diadorim não era homem

O tempo todo...

Teve uma mulher ao seu lado!

Maria José Zanii Tauil________________________________________

João Guimarães Rosa foi um escritor, diplomata, novelista, contista e médico, considerado um dos maiores escritores brasileiros de todos os tempos. Nascimento: 27 de junho de 1908, Cordisburgo, Minas Gerais Falecimento: 19 de novembro de 1967, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

Exibições: 36

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o Volume 8 da Antologia

 Volume 7 da Antologia!

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

Badge

Carregando...

© 2018   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço

Offline

Vídeo ao vivo