Exemplo de boa combinação entre poesia e música é a modinha, espécie de berço da canção brasileira. A cantoria de salão teve enorme prestígio durante o império, alcançando as primeiras décadas do século XX. Algumas delas se consagraram a ponto de serem cantadas até hoje. É o caso de CASINHA PEQUENINA

Observando a letra, logo se nota que o tema é a súplica amorosa. Dirigindo-se à amada, o poeta recorda do tempo em que se conheceram, quando havia juras de amor eterno.

No plano da linguagem, vemos que os versos oscilam entre a singeleza dos motivos (casinha, coqueiro, mangueira, bem-te-vi) e o excesso romântico da fala do poeta: (altaneira, flâmeo, fervor, juras e perjuras) O resultado, certamente, revela no autor anônimo um “poeta ingênuo” que não dominava as técnicas da poesia.

A vontade de elaborar a linguagem talvez esteja relacionada com a intenção de elevá-la ao seu sentimento, ou, quem sabe, mostrar erudição. Seja como for, o exagero das expressões “coqueiro coitado”, “mangueira altaneira”, “flâmeo sol”, prejudica a brejeirice e simplicidade da letra, entoada dolentemente, entre suspiros e saudades.

“Casinha pequenina” é um clássico do gênero, pelo sentimentalismo do poeta, afinal, o tema amoroso seria a marca da modinha. O amor da modinha não dispensa a sensualidade, o toque de malícia, que antevemos no “encontro “ na casinha., tão a gosto do público que se juntava nos saraus para ouvir os cantores.

Numa cultura como a nossa, cuja oralidade tem peso tão grande, não é de estranhar que música e poesia tenham andado bastante juntas. Os salões e saletas do império ficavam famosos como ponto de encontro dos artistas com o seu público, pequeno, doméstico e pouco instruído.

Devido a esse aspecto, a poesia romântica brasileira não pôde prescindir da música. Castro Alves, Gonçalves Dias, Fagundes Varela, Casemiro de Abreu fizeram muitos poemas para serem divulgados através de senenatas.

A CASINHA PEQUENINA, modinhaTradicional e de Domínio Público, teve sua primeira gravação em 1905, em disco da Casa Edison e interpretada por Mário Pinheiro. Nessa gravação a encontramos com versos mais extensos, que foram sendo suprimidos ou modificados ao longo dos anos.

Interessante ressaltar que CASINHA PEQUENINA foi gravada por uma infinidade de excelentes intérpretes (Silvio Caldas, Nara Leão, etc)e já foi apresentada como cançoneta, modinha e interpretada até em ritmo de samba, por Canhoto e seu Regional e outros)

Exibições: 36

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Hoje

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço