Quadro de Portinari - Retirantes

As pinturas de Portinari refletem a precariedade vivida por pessoas que deixam suas casas não por escolha própria, mas porque a condição de vida tornou-se muito difícil, entre outros motivos, por causa das dificuldades do clima – a estiagem e a seca afetam diretamente a vida de famílias que trabalham e sobrevivem da agricultura e criação de animais.

Quarenta anos após Portinari e em outra linguagem da arte, a cantora carioca Marisa Monte (1967) recebeu muitos prêmios nos anos 1990 pela interpretação da música “Segue o seco”. Com letra de Carlinhos Brown, a canção está no álbum Verde, Anil, Amarelo, Cor-de-Rosa e Carvão, lançado em 1994. No ano seguinte ao lançamento, “Segue o seco” foi transformado em videoclipe, também elogiado e premiado pela crítica nacional.

A súplica pela chuva

Pintura de Gerson Guerreiro – Segue seco

Num videoclipe, Marisa está junto a uma população que espera fervorosamente a chegada da chuva, rezando em altares e pedindo aos céus. O clipe possui referências ao clima que Portinari tentou transmitir em suas obras sobre a seca: no início é tudo muito escuro e desolador, assim como nas pinturas do artista. Além da inspiração no pintor, “Segue o seco” tem uma melodia que remete às músicas nordestinas e aos vocais de canções africanas, tradições que Marisa teve interesse em conhecer. E como se não bastasse, o vídeo também é inspirado em uma obra literária famosa por retratar os problemas sociais da seca: Vidas secas, escrita por Graciliano Ramos e publicada em 1938.

Segue o seco

A boiada seca

Na enxurrada seca

A trovoada seca

Na enxada seca

Segue o seco sem sacar

Que o caminho é seco

Sem sacar que o espinho é seco

Sem sacar que seco é o Ser Sol

Sem sacar que algum espinho seco secará

E a água que sacar será um tiro seco

E secará o seu destino seca

Ó chuva vem me dizer

Se posso ir lá em cima

Prá derramar você Ó chuva preste atenção

Se o povo lá de cima

Vive na solidão

A letra:

Há economia de adjetivos, como se o autor quisesse retratar em versos a aridez do sertão e seus efeitos sobre as pessoas.

A palavra “seca” serve de base para toda a letra.

Na construção das sentenças encontra-se ASSONÂNCIA, que é a repetição de vogais em:

sEgue o sEco sEm sEcar.

ALITERAÇÃO: repetição de consoante:

Segue o Seco Sem Sacar que o Seco é Ser Sol.

Anáfora: repetição de palavras

“A ÁGUA QUE SACAR SERÁ UM TIRO SECO.”

Tiro seco é um tipo de treinamento onde as operações com arma de fogo não usam munição. No texto, a munição que falta é a água.

“Ò CHUVA PRESTE ATENÇÃO”

Há personificação, prosopopéia ou animismo

( atribuição humana a um ser inanimado- prestar atenção)

Em Vidas Secas- o sertanejo acaba se acostumando, vendo a seca como mal necessário. A letra de Carlinhos Brown termina poeticamente, numa conversa, quase oração com a chuva, falando na solidão do povo lá de cima

Exibições: 10

Responder esta

Editora Casa da Poesia

Chegou o

Volume 9 da Antologia 

Volume 8 da Antologia

 Volume 7 

                VOLUME 6 

    

PARCEIROS

Nas Redes Sociais

                          CLIQUE AQUI

Fotos

  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Aniversários

Aniversários de Amanhã

Acesso ao CHAT da Casa

              Clique Aqui!

© 2019   Criado por Casa da Poesia*.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço